sexta-feira, 28 de junho de 2013

Na Playlist #15


Eu estou de férias. Nem acredito que isso seja verdade, mas sim, eu estou de férias. O semestre foi extremamente desgastante, e eu estou extremamente feliz em saber que agora eu posso passar horas na frente do computador, ficar deitada no sofá com o controle na mão mudando de canal sem sossegar, acordar qualquer hora do dia que der vontade, ler o dia inteiro, ou simplesmente não fazer nada, e para comemorar o meu estado alegre, a playlist de hoje é bem animada, aproveitem as férias, dancem, leiam, assistam filmes, descansem, escutem muitas músicas ou simplesmente não façam nada, as férias são exatamente para isso! Ah e já aviso que a Taylor resolveu invadir minhas playlists, é meio inevitável...














PS: Eu estou com problemas para montar a playlist como Lista de Reprodução, eu não sei o que está havendo, mas assim que eu descobrir eu volto para a forma normal das playlist, peço desculpas, e agradeço a Jeh por me informar. 

Larissa Mirandah

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick

Título: O Lado Bom da Vida
Título Original: The Silver Linings Playbook
Autor: Matthew Quick
Tradução: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 256
Sinopse:
"Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados".
Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. [...]"

[Sinopse retirada do site da Livraria Saraiva]

Quando você lê muitas críticas em relação à um livro ou suas expectativas aumentam ou elas simplesmente despencam, e de uma forma ou outra isso acaba interferindo em sua opinião sobre o livro, pouco, mas interfere.

Pat Peoples acabou de sair de um Hospital Psiquiátrico, e a única coisa que ele deseja é que acabe o "tempo separados" entre ele e Nikki, sua ex-mulher. Ele não se lembra por que foi parar em um Hospital Psiquiátrico, ou o motivo do "tempo separados", mas ele acredita que esse tempo logo acabará e ele enfim poderá ser um marido melhor para Nikki. O livro conta a história de duas pessoas que passaram por momentos difíceis e continuam lutando por um final feliz melhor, duas pessoas que ainda acreditam que esse final feliz exista.

Quando esse livro foi lançado ele tomou conta da blogosfera literária, eu via mais e mais resenhas dele todos os dias, e havia algo nele que me chamava a atenção, mas eu acabei me esquecendo do livro e só agora decidi lê-lo. Sinceramente, até a metade do livro eu não havia conseguido me encontrar na história, estava tudo meio confuso, e havia muitos mistérios no ar, a partir da metade eu me apaixonei pelo livro, quando o autor desvendou o quebra-cabeça eu consegui compreender toda a essência da história, e precisei me render.

Pat é o tipo de personagem que é quase impossível você não gostar, o que mais me encantou nele é a sua forma de ver o mundo, apesar de tudo que ele passou, dos problemas que tumultuavam sua vida, ele continuava lutando e acreditando no lado bom das coisas, a forma como ele enxergava a beleza em cada detalhe, ou os sentimentos embaralhados que tomavam conta de sua mente, o tornaram um personagem ao mesmo tempo inocente, persistente e apaixonante. Quanto a Tiffany, eu gostei muito da personagem, ela é honesta, tem atitude, e apesar de tudo, ela só queria o final feliz que merecia.

Matthew é um escritor que merece meu respeito, não só por criar uma história onde as peças se encaixam perfeitamente, mas também por fazer com que eu conseguisse simpatizar com um livro realista. Para leitores como eu, que vivem mergulhados em histórias de fantasia, quando um livro conta uma história mais realista e você consegue de alguma forma se aproximar dela, em minha opinião, ele merece meu respeito, pois ele soube me cativar e me encantar de uma forma simples.

O título do livro define muito bem a história, o livro passa uma mensagem muito bonita para quem lê nas entrelinhas, ele mostra que mesmo quando o mundo decidir desabar sobre você, ainda há uma chance de você virar o jogo, ele mostra que o amor nem sempre está explícito, talvez ele esteja escondido, apenas esperando a hora certa de aparecer, e a melhor mensagem que esse livro me passou é que existem sim os finais felizes, por mais que as pessoas te façam duvidar disso, mas ele existe, a diferença é que você precisa lutar por ele. Esse livro me fez enxergar o lado bom da vida, e eu só tenho que agradecer, pois eu não enxergava a vida de forma tão bonita há muito tempo.

Larissa Mirandah

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Diário de Bordo: Meu amor por séries...


Eu não concordo com tudo, as vezes é bom ser diferente, é bom não gostar das mesmas coisas que o restante do mundo, é bom ter uma opinião distinta das demais, é bom defender uma causa que ninguém mais acredita, é incrível ser diferente.

Ler resenhas se tornou um hábito, eu adoro ler uma resenha que exponha uma opinião diferente da que me veio à mente quando li o livro, você percebe que pode conversar respeitosamente com o autor da resenha e entender seus motivos, ou simplesmente surtar com ele quando o livro agrada ambos, você tem a sensação de que não está sozinho no mundo, e que na enorme extensão de nosso planeta há alguém que compartilha do mesmo sentimento que você em relação àquela história.

Algum tempo atrás eu percebi que alguns leitores começaram a optar por livros únicos, as séries extensas estão começando a assustar alguns leitores, tudo bem, eu entendo os motivos perfeitamente, entretanto, baseada nos mesmos motivos eu me pergunto se somente eu ainda sou apaixonada por séries, será?

Eu conheço perfeitamente os motivos que levam alguns leitores a deixarem algumas séries de lado, mas são esses motivos que me fazem amar tanto as série, são esses motivos que fazem com que eu sorria com toda a felicidade do mundo ao saber que aquele livro que eu tanto amei terá uma continuação, são esses motivos que tornam alguns dos meus dias radiantes.

Os motivos: o desespero da espera que parece interminável até o lançamento do próximo volume, a ansiedade triplicada que acompanha a pré-venda, ou a angústia feroz que toma conta de você enquanto espera o autor terminar o próximo livro. Eu prefiro enxergá-los dessa forma: a felicidade em saber que seus personagens preferidos voltarão em novas aventuras, o brilho dos olhos ao saber que o livro que você tanto esperou está na gráfica, ou aquela sensação nostálgica ao saber que o último livro daquela série está em suas mãos, a dor antecipada que aparece no momento em que você se dá conta de que será a última vez que poderá se deliciar com suas histórias, o buraco que se forma em seu peito e que jamais será preenchido por nenhuma outra série, mas não se preocupem, sempre haverá muito espaço para serem cavados mais alguns buracos.

Eu gosto de livros únicos, gosto de ler uma história única e saber que ela ficou perfeita daquela forma, mas ainda há um encanto nas séries perante o meu olhar que, provavelmente, eu não sou a única a enxergar. Não é um sentimento simples de descrever, é como segurar Harry Potter e a Pedra Filosofal nas mãos, e algum tempo depois ter em mãos Harry Potter e as Relíquias da Morte, é um sentimento que percorre todo o seu corpo, é você saber que sua vida foi marcada por aquela série, é saber que, de certa forma, você ama todos aqueles sentimentos angustiantes e desesperadores que acompanham o amor que você sente pelas séries. Como eu disse, não é um sentimento fácil de descrever, mas eu acredito que valha a pena senti-lo, afinal de contas, algumas séries são inesquecíveis, por isso eu as defendo, elas tem uma parte gigante no meu coração leitor!

Larissa Mirandah

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Na Playlist #14

Sabe aquela música que foi lançada há muito tempo e você ainda não cansou de ouvi-la? Eu estou passando por isso com Payphone, parece que quando mais você escuta a música, mais apaixonada por ela você fica, é inevitável, quando você percebe ela está no modo Repeat e você já consegue canta-la inteirinha, sem errar uma palavra, as outras músicas ficam enciumadas, mas o que podemos fazer, quando algumas músicas roubam nossos corações só nos resta aceitar.


Larissa Mirandah

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Infinity Ring: Um Motim no Tempo - James Dashner

Título: Infinity Ring: Um Motim no Tempo
Título Original: Infinity Ring: A Mutiny in Time
Autor: James Dashner
Tradução: Alexandre Boide
Editora: Seguinte
Ano: 2013
Páginas: 240
Série: Infinity Ring #1
Sinopse:
"Quando os melhores amigos Dak Smyth e Sera Froste descobrem o segredo da viagem no tempo — um dispositivo portátil conhecido como Anel do Infinito —, acabam envolvidos numa guerra secreta que existe há muitos séculos e que decidirá o futuro da humanidade. A história havia saído desastrosamente de seu curso natural, e agora caberia a eles voltar no tempo para corrigir as Grandes Fraturas — e, no caminho, ainda salvar os pais desaparecidos de Dak.
A primeira parada é na Espanha de 1492, quando um navegador chamado Cristóvão Colombo está prestes a ser lançado ao mar, durante um motim terrível."

[Sinopse retirada do site da Livraria Saraiva]

Imagine como sua vida é hoje, sua rotina, os lugares que você frequenta, as pessoas que você conhece, seus hobbys, as coisas que você é acostumado a fazer, as histórias que você ouve, as coisas nas quais você acredita, imagine como é o mundo em que você acredita viver. Agora, imagine quando tudo isso é virado do avesso, você descobre segredos antes ocultos, descobre que precisa proteger um precioso dispositivo que permite a viagem no tempo, e ainda por cima salvar o mundo de uma ameaça iminente, salvar seus pais que se perderam durante uma viagem no tempo e impedir que toda a história que você conhece seja modificada por pessoas que anseiam por mais poder, imaginou?

Dak Smith , um gênio em História, e Sera Froste, fascinada em Ciência, são duas crianças que vivem um um mundo onde a liberdade foi extinta, o mundo é comandado por uma organização chamada SQ, que vem modificando a história do mundo há muito tempo, para que tudo esteja sempre ao seu favor, no entanto, uma outra organização se encontra do outro lado da guerra, os Guardiões da História, que precisam urgentemente da ajuda dessas crianças para impedir que alguém mude o curso da história, alterando assim, o futuro de todos, o que fazer quando o futuro da humanidade depende de você?

Confesso que quando terminei a leitura não sabia muito bem como expressar minha opinião, eu fiquei meio dividida e confusa, mas acabei tendo que dar o braço a torcer e admitir que o livro é realmente bom, além de oferecer viagem no tempo, organizações secretas, ele também traz diálogos divertidos, personagens carismáticos, e uma narrativa rápida.

Primeiro ponto alto do livro: os personagens. Dak e Sera são crianças, quase adolescentes, e estão naquela fase das provocações, onde um adora provocar o outro apenas por prazer, e eu acho que o mais bonito é a união que eles possuem, estão sempre tentando proteger o  outro e defendendo-o, e há também Ric, um prodígio em linguagens e idiomas, um garoto de dezesseis anos que fala dezesseis idiomas diferentes, o que, confesso, me deixou meio admirada. 

Ric e Dak juntos rendem boas risadas por suas conversas incessantemente repletas de provocações e alfinetadas, e Sera acaba precisando intervir, enfim, os personagens são, de fato, muito inteligentes, e toda a inocência deles diante da situação que enfrentavam me fez sorrir, porque apesar da importância daquela missão, eles eram como crianças em um parque de diversão, pelo menos o Dak, eles sabiam que tinham um dever a cumprir e ainda assim se divertiam cumprindo-o. Os outros personagens também foram muito bem escritos, mas não vou dar detalhes para não correr riscos de spoilers.

Eu simplesmente adorei a leitura desse livro, entretanto, algo me incomodou, apesar de ser uma série, acredito que esse livro poderia ter sido mais explorado, eu não me incomodaria se ele possuísse mais algumas páginas aprofundando alguns assuntos, talvez nos próximos livros da série as minhas perguntas sejam respondidas, mas eu acredito que o autor poderia ter trabalhado mais em alguns assuntos como as Grandes Fraturas, o que ele contou no livro me deixou querendo saber mais, talvez seja essa a intenção dele.

Cheguei a conclusão de que James Dashner sabe conduzir uma história com maestria, criar personagens carismáticos e me deixar querendo saber mais. A diagramação do selo Seguinte  fez meus olhos brilharem, a capa é linda, a fonte e a margem impecáveis, e não me lembro de ter encontrado erros na revisão, ponto para a editora que já possui meu respeito. O livro é leve, divertido e te deixa desesperadamente ansioso pela continuação, principalmente com aquele final que deixa abismado com a maldade do autor em terminar o livro com um gancho inacreditável. E então, o que você faria se precisasse viajar no tempo para salvar a humanidade?

Larissa Mirandah

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Diário de Bordo: "Quem roubou nossa coragem?"

Eu ainda estou no começo da vida, mas no pouco que eu vivi, ouço as pessoas dizerem que nossa geração é feita de pessoas que não agem, que não se posicionam diante de protestos, pessoas que não defendem seus direitos, pessoas que se conformam em ver o país em constante estado de deterioramento, mas, hoje eu tenho a certeza de que posso bater no peito e dizer que a nossa geração está sim lutando por algo.

Acredito que esses últimos dias que nosso país tem vivido irão fazer parte de futuros livros, haverá pessoas que contarão para seus filhos as histórias de quando nosso povo saiu nas ruas para lutar por aquilo que elas acreditavam, e esses filhos contarão para seus filhos e assim por diante, eu acredito que tudo que o nosso povo está vivendo hoje não será em vão, que isso é apenas o renascer de nosso país, que finalmente, estamos erguendo nossas cabeças, e que todas essas histórias serão passadas de geração em geração, provando que nós, brasileiros temos raça, força e coragem para enfrentarmos os problemas que nos rodeiam.

A Anna Vitória, do blog So Contagious disse uma das frases mais marcantes que eu li em relação aos protestos: "Não consigo ver as notícias dos protestos recentes sem pensar na letra de 'Quando o sol bater na janela do seu quarto', da Legião: até bem pouco tempo atrás poderíamos mudar o mundo, quem roubou nossa coragem?" É nesse momento que Legião Urbana simplesmente define o momento e silencia meus lábios.

Encontramos nossa coragem há muito perdida, encontramos no fundo de nós mesmos um motivo que nos fez levantar, fez milhares de pessoas saírem às ruas, lutarem de cabeça erguida por seus direitos, nosso país está gritando e o mundo inteiro está ouvindo, milhares de pessoas estão mostrando diante do mundo que o sangue que corre em nossas veias é brasileiro, o mundo verá que o filho teu não foge a luta.

Eu estou orgulhosa do meu país, estou orgulhosa de pertencer a ele, eu não fui as ruas, mas mesmo assim, estou orgulhosa de quem o fez, de quem teve a coragem de buscar seus direitos, vocês merecem nosso respeito, e estão aqui para provar que nossa geração age sim, que nossa geração também defende tudo aquilo que acredita. Brasília, São Paulo, Pará, Rio de Janeiro, todo o nosso país decidiu que era hora de acordar, e hoje as pessoas estão unidas, lutando por uma causa em comum, sim, eu me orgulho de vocês, esses protestos serão lembrados na história de nosso país, para que todos saibam que nossa geração conseguiu, que com todas as suas forças, ela teve a coragem de sair as ruas, de dar a cara à tapa, de agir, de acordar, de abrir os olhos, de enfrentar, a nossa geração teve a coragem de lutar, e eu me orgulho disso! Não é só por 0,20 centavos, a nossa causa é muito maior!

Larissa Mirandah

sábado, 15 de junho de 2013

News!

É muita coincidência que na semana mais corrida do mês hajam tantas novidades assim na blogosfera literária, em algumas semanas quase não há novidades, na outra elas aparecem uma atrás da outra, parece que ontem era segunda e hoje já é sábado, como os dias estão passando depressa... Enfim, vamos as novidades!

Nicholas Sparks na Bienal
Essa semana, a Editora Arqueiro divulgou em seu Twitter a data em que um dos autores mais queridos do mundo estará presente na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece do dia 29 de Agosto à 08 de Setembro, no Riocentro.


Um Herói para Wondla
A Editora Intrínseca divulgou essa semana a sinopse e a capa de Um Herói para Wondla, continuação da série Wondla, do autor Tony DiTerlizzi, a editora também comunicou que o lançamento está previsto para o mês de Junho. 
Sinopse:"Eva Nove está a bordo de uma aeronave, cruzando o planeta Orbana rumo à cidade humana de Nova Ática. Ela tem certeza de que esse é o modo perfeito de começar uma nova vida ao lado de Andrílio, seu amigo caeruleano — em especial após a perda trágica de Mater, a robô que cuidava da menina desde seu nascimento. Contudo, como muitas outras coisas em Orbona, as aparências enganam. No novo lar, Eva não apenas encontra pessoas — esse foi o sonho que guiou sua busca desde o início —, mas também descobre os segredos dos Santuários e o passado de seu mundo. E quando dúvidas vêm à tona, ela se pergunta se ter ido para Nova Ática foi uma decisão acertada."


Os Legados de Lorien
The Fall Of Five, continuação do livro A Ascensão dos Nove, será lançado no mês de Novembro, sendo esse o quarto livro da série Os Legados de Lorien. A Editora Intrínseca também divulgou que até lá, serão lançados mais três spinf-offs da série em e-book, o que me deixa mais triste ainda, pois eu parei no primeiro livro da série, ainda.


Adaptação: Divergente
E essa é mais uma imagem da adaptação cinematográfica do livro Divergente, divulgada pela revista Entertainment Weekly. Nela temos o ator Theo James interpretando o personagem Quatro. Pelo que eu estou sabendo até o momento, a previsão de estreia do filme é para março do ano que vem.


O Hobbit: A Desolação de Smaug
Para a felicidade de muitas pessoas, essa semana foi divulgado o primeiro pôster e trailer da continuação do filme O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, que estreia no Brasil no dia 13 de Dezembro de 2013, eu ainda não vi o primeiro, portanto não irei comentar, mas que esse pôster ficou maravilhoso, ele ficou, essas estátuas ficaram incríveis ali, enfim, está lindo, e o trailer me deixou ansiosa para assistir o primeiro e desejar ardentemente o segundo filme.



Larissa Mirandah

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Na Playlist #13


Eu não sei o que dizer hoje. Ontem a noite assisti ao último episódio da quarta temporada de The Vampire Diaries, e tudo que eu sinto é um vazio angustiante, uma dor que não é minha, como se houvesse um buraco em meus sentimentos incapaz de ser preenchido. As vezes você começa algo inocentemente, e logo se vê preso àquilo, como se fosse algo necessário e impossível de ser substituído, talvez você não entenda o que eu estou tentando dizer, mas tudo bem, todos nós sabemos o quanto um sentimento pode ser devastador. Eu queria fazer um post repleto de filosofias sobre o meu recente, porém intenso, amor por essa série, contudo, acredito que a própria trilha sonora da série fale mais alto que minhas palavras. Tentei, em vão, separar as minhas músicas preferidas que tocam na série, elas me passam uma sensação maravilhosa, como se eu flutuasse, como se eu pertencesse a um outro mundo, a maioria delas é calma, com uma melodia que exala sentimentos a cada som, entretanto, como vocês podem reparar, a playlist ficou enorme, não consegui tirar muitas, sorry.


Larissa Mirandah

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Diário de Bordo: Apenas uma fase...

A vida é cheia de fases, eu nunca imaginei que gostaria tanto de chegar a fase adolescente. Me lembro desde de pequena, de assistir àqueles filmes teens, com as adolescentes mandonas, patricinhas e afins, aquilo era meu paraíso, a adolescência era, para mim, um mundo intocável, cheio de novos caminhos.

As vezes, a adolescência é caracterizada por problemas, todos os tipos de problemas, de A a Z, é a fase de se cometer erros, fazer burradas e destruir vidas, bem, eu preciso discordar, a adolescência é um meio diferente de se enxergar o mundo.

Há intensidade em cada sentimento, somos levados ao extremo de nós mesmos, acreditamos em histórias que não são reais, enxergamos uma beleza que ninguém conseguiu ver ainda, sentimos cada emoção exposta diante de nós, seja ela dor, tristeza, amargura, ansiedade, angústia ou alegria, euforia, fé, persistência, amor e somos inteiramente constituídos por esperança.

Mudamos de humor constantemente, passando da alegria para uma amargura singularmente grande, e por mais inacreditável que pareça, não conseguimos explicar. Somos invadidos pela sensação de dor, um aperto no coração tão doloroso que mal conseguimos respirar, talvez aquele vazio apareça sem avisar, e as lágrimas rolem sem um motivo específico, como se elas apenas precisassem estar ali, mas no final, vamos erguer a cabeça, sorrir e dar um passo de cada vez, mesmo que a dor sem motivos apareça novamente, a nossa vontade de seguir em frente é mais forte.

Os adolescentes enxergam o mundo por um ângulo completamente diferente, para nós, o mundo é um lugar muito grande, cheio de perigos, aventuras, escolhas, perdas, mágoas, vitórias, ele pode nós fazer sentir medo de enfrentá-lo, podemos hesitar, mas queremos desvendá-lo, conhecê-lo, integrá-lo, queremos fazer parte daquilo, e de repente, nosso medo se torna um pequeno floco de neve em uma montanha coberta de milhares de pequenos flocos de neve. A nossa forma de enxergar o mundo é como apreciar uma obra de arte abstrata, cada pessoa irá interpretá-la de uma forma.

Apesar disso tudo, a minha parte preferida de ser adolescente são as emoções, é poder sentir cada emoção em seu ponto mais elevado, é sentir raiva ao extremo, e ao mesmo tempo se sentir completamente feliz ao extremo, é conseguir absorver toda a magia que os livros me passam, é acreditar sempre nas melhores coisas ou no final feliz que assistimos nos filmes, ou talvez chorar dolorosamente ao ouvir aquela música melancólica e não saber ao certo o motivo, é terminar o último episódio daquela série e ser tomado por um vazio, uma solidão inexplicável, são pequenas coisas que eu acredito serem necessárias, é algo que não conseguimos conter, a minha adolescência é formada por sentimentos, e eu amo viver um por um, talvez até mesmo ao pé da letra.

Nós sempre queremos estar uma fase à frente, quando criança queremos ser adolescentes, quando adolescentes queremos ser adultos, mas hoje eu não sei dizer se quero ser adulto, eu ainda tenho medo desse mundo, tenho medo do que há nele, mas há algo dentro de mim que fala mais alto, que grita mais alto do que minha própria voz, algo que diz apenas para eu viver, esse algo repete a frase filosófica do filme Detona Ralph: Um jogo de cada vez. A adolescência, as vezes, me parece uma fase estranha, cheia de poréns que eu jamais irei entender, mas há mais nessa fase do que alguns pensam, eu posso dizer que ela é um caminho para um mundo diferente, um mundo só nosso, totalmente confuso, porém, intenso. É a fase dos medos, dos sonhos, das incertezas, das lágrimas, entretanto, é a fase que te faz acreditar que todo o resto vale a pena.



*Essa semana eu conversei com uma pessoa que tinha uma visão limitada sobre os adolescente, caracterizando-os como pessoas problemáticas, necessitadas de atenção e com nenhum interesse na vida, isso me levou a pensar muito no assunto, então eu acho que precisava divagar um pouco...



Larissa Mirandah

domingo, 9 de junho de 2013

Calendário de Filmes: Junho

Mês passado eu assisti muitos trailers dos filmes que iriam estrear, e eu realmente não me interessei por nenhum, eu mantinha esperanças para os filmes Somos Tão Jovens e Faroeste Caboclo, mas depois de tanto ouvir críticas acabei desistindo, entretanto, esse mês há algumas estreias que eu aguardo ansiosamente. Já estamos na metade do ano, as estreias mais esperadas estão próximas, e por enquanto, eu estou cumprindo a meta de ir ao cinema no mínimo uma vez no mês, e confesso que estou adorando, acho que para mim, o preferido desse mês é Star Trek, não estou dando uma de poser, mas desde que assisti o primeiro filme fiquei inteiramente apaixonada.
*Clique no título do filme para ser redirecionado para a página de onde foram retiradas as sinopses e datas de estreias.

Sinopse:O Grande Gatsby conta a história do aspirante a escritor Nick Carraway (Tobey Maguire) que sai do centro-oeste e chega à Nova York na primavera de 1922, em meio a uma era de falta de moral, do ápice do jazz, dos reis beberrões e de ações exorbitantes. Perseguindo o sonho americano, Nick acaba vizinho de um misterioso e festeiro milionário, Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio), além de conhecer sua prima Daisy (Carey Mulligan) e seu marido mulherengo e de sangue azul, Tom Buchanan (Joel Edgerton). É assim que Nick é atraído para o mundo cativante dos super-ricos, cheio de ilusões, amores e decepções. Enquanto Nick é testemunha, dentro e fora do mundo que habita, ele escreve um conto de um amor impossível, sonhos puros e muita tragédia, criando um reflexo das nossas lutas e tempos modernos.
Estreia: 07/06/2013


Depois da Terra

Sinopse: Mil anos após eventos cataclísmicos terem forçado a humanidade a deixar a Terra, Nova Prime tornou-se o seu novo lar. O lendário General Cypher Raige (Will Smith) retorna para sua família depois de uma longa ausência a serviço, pronto para criar seu filho de 13 anos Kitai (Jaden Smith). Quando uma tempestade de asteroides danifica a nave de Cypher e Kitai, eles caem na Terra, que agora é um lugar estranho e perigoso. Com seu pai morrendo, Kitai deve atravessar um terreno hostil para recuperar o equipamento que enviará o sinal de resgate. Toda a sua vida, Kitai quis ser um soldado como seu pai. Hoje, ele terá sua chance.
Estreia: 07/06/2013


Star Trek: Além da Escuridão
Sinopse: No verão de 2013, o pioneiro diretor J.J. Abrams lançará um explosivo suspense de ação que leva Star Trek para Além da Escuridão. Quando a tripulação da Enterprise é chamada de volta para casa, eles descobrem que uma força de terror incontrolável, de dentro de sua própria organização, detonou a frota e tudo aquilo que ela representa, deixando nosso mundo em situação de crise. Tendo contas pessoais a ajustar, o Capitão Kirk (Chris Pine) lidera uma caçada humana em um mundo em zona de guerra para capturar um homem que é por si só uma arma de destruição em massa. Na medida em que nossos heróis são lançados em um jogo de xadrez épico de vida ou morte, o amor será contestado, amizades serão rompidas e sacrifícios terão que ser feitos pela única família que Kirk ainda possui: sua tripulação.
Estreia: 14/06/2013


Universidade Monstros
Sinopse:Mike Wazowski (Billy Crystal) e James P. Sullivan (John Goodman) são uma dupla inseparável, mas nem sempre foi assim. Desde o momento em que esses dois monstros incompatíveis se conheceram, eles não se suportam. Universidade dos Monstros revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos.
Estreia: 21/06/2013


Guerra Mundial Z
Sinopse: A história gira em torno do funcionário da ONU Gerry Lane (Brad Pitt) que atravessa o mundo numa corrida contra o tempo para impedir uma pandemia que está desafiando exércitos e governos e ameaçando dizimar a humanidade inteira. Baseado no livro homônimo e best-seller escrito por Max Brooks.
Estreia: 28/06/2013


Saldo de Abril: G.I. Joe 2: Retaliação
Saldo de Maio: Homem de Ferro 3


Larissa Mirandah

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Na Playlist #12


Eu adoro criar playlist com músicas aleatórias, cada uma delas com um sentimento diferente, uma mensagem diferente, é como tentar dizer várias coisas ao mesmo tempo, entretanto, as vezes nossas emoções falam mais alto, e graças a uma música em especial, eu percebi que precisava montar uma playlist com músicas apenas da Florence and The Machine. Essa banda britânica tem a capacidade de levar meu coração à mil ou despedaçá-lo cruelmente, suas músicas possuem tanto sentimento, em algumas eu sinto a dor daquela letra, em outras eu quero chorar desenfreadamente, algumas me fazem sorrir levemente e ainda há aquelas que simplesmente me deixam sem fala, sem respiração. Há mais sentimento nas entrelinhas de suas músicas do que meus olhos são capazes de enxergar, portanto, eu prefiro tentar senti-los. Apenas uma observação, a Florence tem uma voz de deixar qualquer um pasmo, ali há leveza, delicadeza e ainda assim sua voz é forte, cheia de sentimento.Achei muito difícil escolher apenas algumas músicas dessa banda, deixo claro que a playlist não abrange todas as minhas preferidas, mas Never Let Me Go me fisgou irreversivelmente, ela tem um significado muito especial pra mim.

Larissa Mirandah

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Monster High: Uma Loba Cheia de Estilo - Lisi Harrison

Título: Monster High: Uma Loba Cheia de Estilo
Título Original: Monster High: Where There's a Wolf, There's Away
Autora: Lisi Harrison
Tradução: Renata Tufano
Editora: iD
Ano: 2011
Páginas: 334
Série: Monster High #3
Sinopse:
"No terceiro volume da série, Clawdeen espera ser o foco dos holofotes na sua Festa Animal de 16 anos, mas a fama do documentário O monstro mora ao lado se espalha rapidamente e a família Wolf tem que se esconder no meio do mato – o que pode por tudo a perder. Enquanto isso, Frankie e Melody também passam por novos apuros: Frankie tenta superar a traição de Brett e dar uma chance para Billy, que realmente resolveu aparecer; Melody, por sua vez, quer acabar com o "Tour das Casas dos Monstros" de Bekka, ao mesmo tempo em que tenta a todo custo arrancar a verdade de seus pais e impedir que a Sra. J. vá se esconder junto com Jackson."

[Sinopse retirada do site da Livraria Saraiva]

Aviso: No segundo parágrafo pode haver a presença de spoilers para quem ainda não leu o segundo livro da série, entretanto, o restante está livre de spoilers!

Você começa uma série não esperando absolutamente nada dela, e aos poucos você vai se apaixonando, vai conhecendo os personagens, e começa a se sentir, de certa forma, presa àquela história, é algo que acontece aos poucos, mas você não consegue lutar contra.

Chegou a hora de enfrentar os seus medos. Após o documentário O Monstro Mora ao Lado ter ido ao ar, o pai da Draculaura, o Dr. D. (líder dos Irados e vampiro) decide que é hora de todos eles saírem de Salem, para poderem se proteger da sua recente fama. Frankie e Cleo não apareceram no documentário, portanto são as únicas a ficar na cidade, mas e os outros Irados? Eles nunca mais voltarão? E quais os mistérios cercam Melody Carver?

A história foca, além de Frankie e Melody, em Clawdeen Wolf, a loba cheia de estilo do colégio Merston High. Tudo que ela sempre quis foi sua festa maravilhosa de 16 anos, mas graças ao documentário, o seu sonho se torna remotamente distante, pois ela e sua família, com seus irmãos engraçadinhos e fofos, precisam passar um tempo no albergue da família até toda essa história ser resolvida, o que tornou sua festa de 16 anos algo impossível de acontecer.

Arrisco dizer que desse livro em diante a série começa a ficar muito melhor, eu consegui enxergar o amadurecimento de alguns personagens, e para a minha completa felicidade, alguns personagens, como o Billy, ganham um destaque maior, tornando a história mais romântica e divertida


Algo de que eu realmente gosto nessa série é que por mais que haja certa divergência entre alguns personagens, eles são unidos, estão sempre um do lado do outro quando precisam, eles protegem uns aos outros, e por eles serem adolescentes é tudo muito intenso, muito real,  e eu acho isso muito bonito, eles possuem uma amizade verdadeira, tenho certeza de que eles fariam de tudo para protegerem seus amigos.

Não se deixem enganar pela imagem do livro, ele é muito mais bonito, além do título e da figura da loba possuírem um contorno em alto relevo e laminado, a impressão que a capa passa é de um pelo sedoso, macio e levemente acinzentado, e a frase de destaque da parte de trás é uma das minhas preferidas: Descubra seu lado selvagem!

O destaque desse livro fica para a luta que ocorre dentro dos personagens, suas escolhas e a forma como eles decidem enfrentar seus problemas, foi impossível eu não me identificar, mas eu sei como é ser diferente em uma sociedade onde o "igual" predomina entre as pessoas, tanto fisicamente como na forma que você age, sempre vai haver o estereótipo, mas o que te torna diferente é a forma como você decide agir diante de algumas situações. A autora, como sempre, terminou o livro nos deixando ansiosos, e eu realmente admito que esse é o meu preferido até agora, divertido, sutil, e se você desejar irá enxergar mais nessa história do que um simples infanto-juvenil.

Larissa Mirandah

terça-feira, 4 de junho de 2013

Diário de Bordo: Pagando com a língua...


Eu também cometo erros, e depois me arrependo amargamente, demoro começar algo que eu queria fazer e depois fico resmungando comigo mesma, enrolo tanto para comprar aquele livro ou qualquer outra coisa que eu tanto quero e depois é hora de chorar o leite derramado, o que eu quero dizer é que eu adio muitas coisas na minha vida, mas as vezes é inevitável, e você acaba se surpreendendo. Sabe aquela frase, não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje? As vezes, eu meio que dou as costas para ela, e o resultado é fácil de se imaginar: eu me arrependo. 

Eu sempre li muito, sempre fui apaixonada por filmes e não resisto aos meus queridos fones de ouvido, mas se tem algo para o qual eu sempre torci o nariz eram as séries, o motivo? Eu não sei, apenas sei que não gostava, sentava e assistia um episódio aqui, um ali, o final daquele, o começo daquele outro, mas nunca conseguia assistir sequer uma temporada completa, nenhuma série conseguiu me prender definitivamente na frente da televisão, mas isso acabou mudando.

Temos essa mania feia de dizer nunca diante de certas situações, falamos sem perceber, e eu disse isso muitas vezes em relação as séries. Algumas semanas atrás eu vi alguns amigos comentando sobre The Vampire Diaries de forma tão empolgada que me interessei, fiquei curiosa, e comecei a me envolver, o fato é que eles acabaram me convencendo a assistir, e lá estava a garota que deixou bem claro que nunca acompanharia uma série dando início a um caminho sem volta, realmente, eu acabei pagando com a língua.

Eu admito que nunca é bastante tempo, mais tempo do que eu seria capaz de calcular, e que as vezes aquilo para o qual você diz nunca pode ser algo surpreendentemente bom, algo que talvez você precise naquele momento, eu não imaginava que essa série pudesse mexer tanto com meus sentimentos ao ponto de me fazer vibrar, torcer, chorar, eu descobri que sentia falta de passar por todos esse sentimentos, de estar na pele dos personagens, sentir a história em cada parte de mim, ela despertou em mim sentimentos que eu desconhecia, e outros que eu não senti há muito tempo, a série me envolveu em conversas que eu sentia falta, e me deu mais magia do que eu esperava, e me fez enxergar algumas pessoas, ações e sentimentos de outra forma, por outro ângulo, com outros olhos. Nunca pode ser só o começo...

Larissa Mirandah

sábado, 1 de junho de 2013

News!

Parece que o mundo das notícias anda bem calmo esses dias, na semana passada não li nenhuma novidade que considerei importante o suficiente para postar aqui, se saiu alguma peço desculpas, o período de provas está chegando novamente, portanto, eu acabo meio ocupada, e eu também inventei de assistir The Vampire Diaries, acho que entendi o motivo de eu ter relutado tanto para começar, eu sabia que iria me apaixonar pela série, é inevitável, então, unindo tudo isso significa que eu ando meio desligada das novidades, porém, hoje eu vim aqui postar apenas uma novidade, que eu tenho certeza que irá fazer muitas pessoas sorrirem.

Os Heróis do Olimpo
Essa semana foi divulgada a capa e o título (A Casa de Hades) do quarto volume da série Os Heróis do Olimpo, que será lançado em outubro desse ano, juntamente com a edição americana.


Larissa Mirandah